Segurança do Trabalho

Direção Preventiva e sua Importância

Por Erica Bento Coelho de Moura Lacerda - 27 de outubro de 2017
Direcao-Preventiva-sua-importancia

O trânsito pode ser considerado o maior ambiente social que existe. Motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres compõem um sistema que precisa da atenção e cuidado de todos. Cooperar e agir em benefício daqueles que estão à sua volta é também cuidar de si.

Baseando-se na noção de que, em todo acidente sempre estará presente uma falha humana, relacionada a negligência, imprudência ou imperícia, a direção preventiva pretende que o motorista que a emprega seja um elemento ativo na alteração ou eliminação dos fatores que possam vir a causar estes possíveis acidentes.

Estatisticamente, 75% dos acidentes são causados por falha humana (condutor), 12% por problemas nos veículos, 6% por deficiências das vias e 7% por causas diversas. Com isto, podemos dizer que o homem é, direta ou indiretamente, responsável por 93% dos acidentes.

Atualmente, o Brasil participa com apenas 3,3% do número de veículos da frota mundial mas é responsável por 5,5% dos acidentes com vítima fatal, registrados em todo o mundo.

É imprescindível que as empresas e locais de trabalho ofereçam aos colaboradores a oportunidade de receber treinamentos periódicos sobre direção preventiva para refletir e reconhecer o compromisso com seu verdadeiro papel quanto à segurança no trânsito.

Adotando esta postura, mesmo enfrentando várias condições adversas e trafegando em vias mal conservadas, cada indivíduo aprenderá a ter um comportamento preventivo e de modo a evitar acidentes.

A seguir, listamos alguns passos importantes no trânsito:

  • Para dirigir com segurançae diminuir o risco de acidentes, é preciso adotar uma postura preventiva no trânsito. Prevenção significa um conjunto de medidas que visam antecipar a ação dos outros condutores e evitar possíveis situações de perigo;
  • Dirigir de modo prudente é um bom começo para dirigir bem. Dirigir defensivamente significa planejar todas as ações pessoais com antecedência, a fim de prevenir-se contra o mau comportamento de outros motoristas e as condições adversas;
  • Os veículos só poderão transitar nas vias quando atendidos os requisitos e condições de segurança estabelecidos no Código de Trânsito Brasileiro;
  • Para o condutor ter um comportamento seguro no trânsito ele deve perceber, antecipadamente, os riscos e agir prontamente para evitá-los ou controlá-los;
  • Estatísticas revelam que uma das maiores causas de morte no país está relacionada a acidentes de trânsito;
  • Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), entre os anos de 2005 e 2006 houveram, aproximadamente, 41.000 acidentes de trânsito com vítimas fatais, dos quais 26% teve como vítima fatal o condutor do veículo, 25% teve como vítima um dos passageiros e, por fim, 26% dos acidentes tiveram como vítima fatal o pedestre.

Acidente de Trânsito é considerado todo evento danoso que envolva o veículo, a via, o homem e/ou animais e, para caracterizar-se, é necessário a presença de dois destes fatores.

Existem dois tipos de acidentes: o evitável e o não evitável.

O primeiro é aquele em que você deixou de fazer tudo que razoavelmente poderia ter feito para evitá-lo enquanto o segundo, é aquele em que se esgotando todas as medidas para impedi-lo, este veio a acontecer.

Normalmente, as pessoas perguntam: “quem é o culpado”, onde a pergunta correta é: “quem poderia ter evitado o acidente”. Você consegue perceber a diferença?

Uma das maiores causas dos acidentes chama-se “condutor de veículo”.

Não por acaso, o fator humano é responsável pela maioria dos acidentes. Dirigir defensivamente é essencial para prevenir os desastres ou pelo menos minimizar suas consequências.

Um trânsito mais seguro depende de adotar um comportamento mais inteligente, não apenas do condutor de veículo automotor, mas também do pedestre e do ciclista. Bicicletas, por sua vez, não devem trafegar em pistas exclusivas de ônibus e, cabe ao ciclista usar os equipamentos de segurança obrigatórios, como o capacete.

Desta forma, como o motorista deve respeitar a preferência do pedestre na faixa de segurança nos casos em que não haja semáforo, o pedestre precisa atravessar na faixa e respeitar a sinalização luminosa, quando houver.

É uma engrenagem. Se todos adotarem uma postura corretiva e preventiva, os acidentes diminuirão consideravelmente.

 

Referências Bibliográficas:

Fonte: https://icetran.org.br/

Fonte: www.detran.pr.gov.br

Fonte:www.educacaotransito.pr.gov.br

 Fonte: Anuários Denatran, 2002 a 2006

 

Fonte da Imagem:

Freepick

 

Gostou deste post? Então deixe um comentário, compartilhe com a gente e com os nossos demais leitores, a sua opinião e as suas ideias sobre o assunto!