Segurança do Trabalho

Gerar Energia com Segurança – Os Desafios Encontrados no Setor Eólico

Por Marcelle Aleixo Corrêa - 25 de julho de 2017
eolicas

Considerados um dos maiores produtores de energia eólica do mundo, o Brasil, no último ano ultrapassou a Itália ficando em 9º lugar no ranking mundial de capacidade acumulada de geração e, em 4º lugar, na capacidade de expansão instalada.

Os dados verificam-se segundo a ABE Eólica (Associação Brasileira de Energia Eólica).

A força dos ventos está presente, entretanto, os desafios impostos na implantação de um parque eólico são muitos, tais como: dificuldades de acesso, custos elevados e garantia de segurança aos colaboradores que atuam neste setor.
O ritmo acelerado que cresce ano após ano e por ser considerado um setor relativamente novo, o número de profissionais com conhecimento específico para atuar é reduzido, induzindo o envolvimento de trabalhadores inexperientes em processos para os quais não precisam de formação e colocando em risco a saúde e a segurança dos contratantes e contratados.

Para garantir geração de energia com segurança é preciso estar ciente dos riscos inerentes às atividades desenvolvidas no processo, desde a construção, que compreendem as seguintes fases: topografia; terraplanagens; grandes escavações; bate estaca; injeção de solo; armação; concretagem; reaterro; compactação; construção da subestação e montagem da linha de transmissão, dentre outras etapas, até chegar na fase de montagem dos aerogeradores que envolvem grandes equipamentos de movimentação de cargas, com elevada altura e, no processo final, o comissionamento das unidades geradoras.

O que torna as atividades mais perigosas neste setor são as suas grandiosidades. Por exemplo, uma base gasta em torno de 400 m³ de concreto (aproximadamente 50 caminhões tipo betoneira, cerca de 10 a 12 horas de trabalho) e o uso de equipamentos de grande porte, tornando os riscos com um potencial elevado. Estes riscos, na verdade, vão desde as movimentações de cargas (onde o colaborador fica exposto a esmagamentos de membros, batidas contra, dentre outros fatores) até atingir as condições impeditivas (ventos fortes; incidência de raios; quedas de alturas elevadas; cansaço físico intenso por conta de cargas horárias excessivas; choque elétrico e até mesmo ataques de animais peçonhentos).

Para driblar estes inúmeros riscos encontrados, seguem abaixo algumas medidas e procedimentos que devem ser tomados para a devida implantação de um parque eólico:

Reforçar os treinamentos de qualificação e segurança específicos do setor eólico;

Planejar todas as atividades com antecedência;

Implantar e divulgar procedimentos de execução das atividades desenvolvidas;

Realizar análises preliminares de riscos;

Divulgar programas de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (PAE, PPRA e PCMSO, dentre outros programas);

Fornecer equipamentos de proteção adequados aos riscos e que proporcione conforto aos colaboradores;

Realização campanhas de conscientização;

Acompanhar, sempre de perto e periodicamente, todas as fases e processos desde a sua construção até o momento de operação/manutenção.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
• http://www.brasil.gov.br/infraestrutura/2017/03/brasil-e-o-maior-gerador-de-energia-eolica-da-america-latina
• http://www.abeeolica.org.br/

Fonte da Imagem: Arquivo

Gostou deste post? Então deixe um comentário, compartilhe com a gente e com os nossos demais leitores, a sua opinião e as suas ideias sobre o assunto!

Digite sua busca

Posts Recentes

Gestão e Análise de Documentos, quais as vantagens?
Certificado GWO para o setor eólico, o que é?
Consultorias, saiba quais são os prós e os contras
Sistema de gestão de segurança: confira a importância de ter um!
CASE: Programa de Maturidade em Saúde e Segurança

Siga-nos!

Posts Relacionados