Os Riscos dos Trabalho em Espaços Confinados

Tanto em indústrias como em outras empresas, nem todas as áreas são adequadas para acesso, bem como para que a permanência por parte das pessoas seja feita por longos períodos. Estes ambientes são utilizados a fins de manutenções de máquinas, dentre outros itens, de forma eventual. Estas áreas são conhecidas como Espaços Confinados.


Além disso, quando se fala em Espaços Confinados, constatamos que as entradas e saídas são impróprias em condições normais e as ventilações são insuficientes. Há vastos exemplos de locais que apresentam estas condições, tais como tubulações, caldeiras, caixas de passagem de energia, caixas d’água, esgotos, reservatórios, caixas subterrâneas, galerias, biodigestores, dentre outros.


Para atuar nestes ambientes de forma segura para o trabalhador, os colaboradores precisam de treinamento com o objetivo de orientação e assim evitando perigos e/ou procedimentos em casos de riscos iminentes ou acidentes. As empresas precisam seguir condutas de acordo com as Normas Reguladoras, determinadas pela Secretaria do Trabalho, mais precisamente a Norma de número 33, que trata da seguinte forma a definição e objetivo dos Trabalhos em Espaços Confinados:


33.1.1. Esta norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação, monitoramento e controle de riscos existentes, de forma a garantir permanentemente a segurança e saúde dos trabalhadores que interagem direta ou indiretamente nestes espaços.


OS RISCOS PARA OS COLABORADORES

É sabido que a rotina de uma empresa pode gerar grandes demandas no que diz respeito aos trabalhos em Espaço Confinado, tendo assim que garantir a segurança e a integridade física do trabalhador que trabalha em condições de risco para a saúde. Por conta disso, as empresas têm de tomar medidas cautelosas a fim de prevenir possíveis acidentes.


Conforme mencionado anteriormente, além da ventilação insuficiente e condições impróprias, o espaço confinado envolve vários riscos aos trabalhadores, tais como soterramentos, asfixia, temperaturas extremas, alagamento em caixas d´água ou esgotos, etc.


E QUAIS MEDIDAS A SEREM TOMADAS PARA EVITAR ESTES RISCOS?

Os Espaços Confinados podem oferecer variados riscos ao trabalhador, sejam eles físicos, biológicos, mecânicos ou químicos. Cabe a cada empresa, baseada no risco constatado, de propiciar equipamentos de proteção individuais e coletivos a fim de garantir a segurança do colaborador nos trabalhos em espaços confinados.


Além disso, a Norma Regulamentadora de número 33, em seu anexo III, estabelece a exigência da emissão da PET (Permissão de Entrada e Trabalho), documento que estipulam condutas a serem seguidas e que garantam as condições necessárias para a segurança dos trabalhos. Ela deve ser emitida por um profissional responsável da área de Segurança do Trabalho, sendo obrigatório a emissão deste documento nas atividades que envolvem Espaços Confinados.


Outro ponto a ser destacado é a presença de um profissional especializado em Segurança do Trabalho, que tem a função de fiscalizar as atividades em si, evitando possíveis acidentes. Além disso, este trabalhador tem a responsabilidade de verificar se os equipamentos disponibilizados estão em condições de uso e se os colaboradores envolvidos nas atividades estão utilizando de maneira adequada. São exemplos de equipamentos: Capacetes, cintos de segurança, respiradores, trava-quedas, rádios comunicadores, detectores de gás, botas, luvas, óculos, extintores, tripé e iluminação adequada.


CONCLUSÃO

Além do fornecimento de equipamentos e a observação do local como um todo a fim de constatar se as condições de trabalho estão aptas, é importante que cada empresa capacite seus colaboradores por meio de treinamentos regulares, se atentando a periodicidade para sempre estar reciclando os mesmos, propiciando assim funcionários capacitados para estarem atuando em condições adversas. Ainda assim, a possibilidade de acidentes existe, sendo extremamente necessário que cada empresa tenha equipes de resgate em quaisquer situações de emergência. Por isso a importância do profissional que atue em trabalhos de Espaço Confinado ser devidamente treinado e consequentemente ser certificado.


Independente do ramo que a empresa esteja atuando, as empresas, antes de visarem o lucro e a produção, nunca devem deixar de lado a segurança do colaborador, considerando que ele é parte fundamental no que diz respeito ao êxito, eficiência e qualidade do empreendimento.


REFERÊNCIAS:

http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr33.htm

Revista RPA News: https://revistarpanews.com.br/espaco-confinado-capacitacao-e-prevencao-sao-fundamentais-para-impedir-acidentes/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima